domingo, 22 de dezembro de 2013

FERRAMENTA REBITE DE RODA

 Ferramenta utilizada para colocação dos rebites dos grampos das rodas.
 Detalhe do encaixe da cabeça do rebite.
Muito simples, mas bastante útil na hora da instalação dos rebites dos grampos de rodas.

PARAFUSOS DAS RODAS

Parafusos de rodas que serão utilizadas no Fusca. Conseguiu-se um jogo completo, com 20 (vinte) parafusos e mais alguns de reserva.
O incomum logo VW na parte central é destaque nesses parafusos.


SUSPENSÃO III

 Quadro da suspensão dianteira jateada, com fundo wash primer e com as trincas resolvidas.
 Detalhe do quadro da suspensão dianteira.
 Vista geral da suspensão. Lembremos que o Fusca 56 não tinha amortecedor de direção e, tampouco, barra estabilizadora. O amortecedor de direção foi introduzido no Fusca em 1964 e a barra estabilizadora dianteira no modelo 1960.
 Há necessidade, ainda, de um acabamento melhor em torno dos pontos de solda. Isso será feito quando da pintura definitiva do quadro.
 Vista da frente. Repare os vincos centrais. É um detalhe que mostra a originalidade do quadro.
 O batente foi todo limpo. Estava cheio de sujeira, o que impedia a saída de água.
 Serão trocadas as buchas da suspensão. Acima, a bucha original que será instalada no quadro.
 Detalhe da bucha, com o part number e as canaletas internas para o deslize da graxa.
Acima, jogo de 4 (quatro)  buchas da suspensão. No total, são utilizadas 8 (oito) buchas.

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

SUSPENSÃO II

Durante o processo de restauração do quadro de suspensão do Fusca, descobrimos que, originalmente, havia uma trava nos parafusos dos amortecedores dianteiros. Veja acima a vista explodida da suspensão, peça nº 44, retirada de um catálogo de peças da VW de 1956.

Eram utilizadas duas travas por amortecedor, ou seja, quatro peças no total.  Os amortecedores traseiros não possuíam essa trava.

 Acima, o conjunto de travas do parafuso do amortecedor. Foram utilizadas do chassi nº 1-117.053 (agosto de 1949) até chassi nº 1.279.013 (setembro de 1956). O Fusca que está sendo restaurado foi fabricado em março de 1956 (chassi nº 1.144.755), e, portanto, dentro do período correto de utilização.

Outro detalhe que confirma o necessário uso trava é o ressalto na torre da suspensão onde o amortecedor é fixado. É nesse ressalto que, na parte superior, é alojado o elemento travante. O outro ressalto, na parte inferior, fica localizado no próprio braço da suspensão. 

 Perceba as duas orelhas que completam o travamento do parafuso do amortecedor. Será necessário algumas belas "batidas" para dobrá-las sobre o parafuso. Essa peça foi solicitada da Finlândia , onde é reproduzida, e, espera-se, chegue aqui nos próximos 30/40 dias.

domingo, 8 de dezembro de 2013

SUSPENSÃO

Enquanto o Fusca continua na pintura, trabalha-se na suspensão do veículo.
  
 Trincas no quadro da suspensão dianteira serão consertadas. Os dois lados possuem trincas. Infelizmente, o aparecimento de trincas é algo comum na suspensão do Fusca.
A suspensão dianteira ainda é original.
Detalhe do quadro dianteiro.
Havia sido soldado na suspensão um engate ...
... que foi retirado por não ser algo original de fábrica. 
Detalhe das chapas-guia da caixa de direção.
Detalhe da torre da suspensão.
As trincas. 
Trincas.
Detalhe do frisado do batente da suspensão, onde fica instalado uma chapa-trava dos parafusos. 

Barras de torção da suspensão traseira.
Detalhe dos logos VW nas barras de torção.
Barras de torção e respectivas capas.
Detalhe da capa da barra de torção.
Parte de trás da capa da barra de torção.
Todas as partes da suspensão traseira foram jateadas.
Detalhe do facão.
Facão e barra de torção. 

As peças irão para a pintura essa semana ainda.